sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

AS 7 leis da prosperidade: As sete leis espirituais do sucesso 11 0...

AS 7 leis da prosperidade: As sete leis espirituais do sucesso 11 0...: "As sete leis espirituais do sucesso 11 03 2008 As sete leis espirituais do sucesso segundo o autor ..."

 

 Certa vez, um homem esbaforido achegou-se ao grande filósofo e sussurrou-lhe aos ouvidos:
- Escuta, Sócrates... Na condição de teu amigo, tenho alguma coisa muito grave para dizer-te, em particular...
- Espera!... -ajuntou o sábio prudente. Já passaste o que vais me dizer pelos três crivos?
- Três crivos? -perguntou o visitante espantado.
- Sim, meu caro amigo, três crivos. Observemos se tua confidência passou por eles. O primeiro é o crivo da verdade. Guardas absoluta certeza, quanto àquilo que pretendes comunicar?
- Bem, - ponderou o interlocutor, - assegurar mesmo, não posso...Mas ouvi dizer e ...então...
- Exato. Decerto peneiraste o assunto pelo segundo crivo, o da bondade. Ainda que não seja real o que julga saber, será pelo menos bom o que me queres contar?
Hesitando, o homem replicou:
- Isso não... Muito pelo contrário...
-Ah! - tornou o sábio - então recorramos ao terceiro crivo, o da utilidade, e notemos o proveito do que tanto te aflige.
- Útil?!... aduziu o visitante ainda agitado. - Útil não é.
- Bem - rematou o filósofo num sorriso, - se o que tens a confiar não é verdadeiro, nem bom e nem útil, esqueçamos o problema e não te preocupes com ele, já que de nada valem casos sem edificação para nós!...
Aí está, meu amigo, a lição de Sócrates, em questão de maledicência...
 
Irmão X (Chico Xavier)
Livro:  "Mensagens de Saúde Espiritual"

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

COMEÇAR O ANO COM ENERGIA E METAS.


Hoje quero falar com você sobre dois assuntos:
Hoje eu quero falar com você sobre 2011.

Como já diz a música, “adeus ano velho,... Que tudo se realize no ano que vai nascer”.

Então, que 2011 seja para você um ano de realização.

Mas realização não cai do céu. Precisa de preparação.

Resultados sensacionais são consequências de uma preparação sensacional.

Por isso, meu conselho é: separe um tempo, faça uma análise do que você conseguiu neste ano, avalie os seus sonhos, estruture dois ou três objetivos para o ano novo, coloque isso por escrito e dê um jeito de ficar focado o ano inteiro nesses objetivos.

Pessoas que têm objetivos claros sempre têm muito mais sucesso do que aquelas que não têm ideia de para onde estão indo.

Tenha como um de seus objetivos principais que a sua atividade profissional busque ajudar as pessoas a resolverem problemas.

Quanto mais você se especializa em ajudar as pessoas a resolverem seus problemas, mais sucesso você tem, mais dinheiro você ganha.

Pare e pense: que problemas você resolve para o seu cliente? Que problemas você resolve para a sua empresa? Que problemas a sua empresa resolve para os clientes dela?

Não fuja dos problemas... Entusiasme-se com a possibilidade de resolvê-los.

Quando você ajuda as pessoas a resolverem os problemas delas, elas têm o maior prazer em pagar pelo seu trabalho e ajudá-lo a ser um profissional de sucesso.

Assista ao vídeo no link abaixo e se prepare para ser o profissional que o mercado vai procurar em 2011:
http://shinyashiki.uol.com.br/blog/index.php/2010/12/o-podio-sera-seu-em-2011/

Um excelente 2011. Vejo você no pódio!



Um grande abraço,

Roberto Shinyashiki

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

UM OTIMO E REFELEXIVO NATAL E UM ANO NOVO CHEIO DE LUZ.

Fazer Renascer o Natal
     O melhor da festa é esperar por ela, diz o provérbio. O melhor do Natal é ter passado por ele, sentem muito sem dizer. É insuportável a fissura, a loucura e o desequilíbrio desencadeados pelas festas de fim de ano. O consumo e compras compulsórias de produtos, o apetite compulsivo de comilanças, a máscara da alegria estampada no rosto para encobrir o bolso furado, a corrida aos espaços de lazer, as estradas engarrafadas com mortes no trânsito e pedágios caríssimos, as filas intermináveis nos supermercados, os sinos de papel envoltos nas fitas vermelhas dos shoppings centers, aquela mesma musiquinha marota, tudo satura o espírito.     Seria este anticlima um castigo divino à nossa reverência à figura de Papai Noel?
Natal é pouco verso e muito reverso. Em pleno trópico e no verão, nossa imitação enfeita de neve de algodão a árvore de luzinhas intermitentes. O estômago devora castanhas, nozes, avelãs e amêndoas, quando a saúde pede saladas, legumes e principalmente jejuns e purificações.
     Já que o espírito arde de sede daquela Água Viva do poço de Jacó (João 4), afoga-se o corpo em álcool e gorduras buscando, em vão, alimentar o vazio existencial. A gula de Deus busca, em vão, saciar-se no ato de se empanturrar na mesa.     Talvez seja no Natal que nossas carências fiquem mais expostas. Damos presentes sem nos dar, sem cuidarmos de nós, recebemos sem acolher, brindamos sem perdoar, abraçamos sem afeto, damos a mercadoria um valor que nem sempre reconhecemos nas pessoas. No íntimo, os verdadeiros buscadores, estão inclinados à simplicidade da manjedoura. O mal estar decorre do fato de nos sentirmos mais próximos dos salões de Herodes, de nossas ilusões, medo e de sonhos que desistimos      No Brasil, este Natal é de Reis “magros”. A nação, condenada a sustentar todo tipo de parasitas, corruptos, governantes e economistas que sacrificam o povo, dá as costas às alegrias do presépio para trilhar, com recessão, salários diminutos e tributos aumentados; instituições incompetentes e falidas que cuidam de legislar a seu favor, o caminho do Calvário.     Sem que fôssemos consultados, o Brasil foi vendido ao capital da pirataria especulativa, que saqueia nossas bolsas, quebra nossas pequenas e médias empresas, leiloa nosso patrimônio público, dilapida nosso sistema de ensino e gangrena o da saúde, segurança e "justiça". E ainda nos insistem em nos convencer de que esta é a melhor rota para o futuro e que devemos votar naqueles que seqüestram nossos anseios de felicidade.     Mudemos nós o Natal. Abaixo o Papai Noel, viva o Menino Jesus! Em vez de presentes, presença – junto à família, aos que sofrem, aos enfermos, aos soropositivos, às famílias das vitimas de crimes, às crianças de rua, aos dependentes de drogas, aos deficientes físicos e mentais, aos excluídos.     Façamos da ceia, cesta a quem padece de fome e do abraço laço de solidariedade a quem clama por justiça. Instalemos o presépio no próprio coração e deixemos germinar Áquele que se fez pão e vinho para que todos tivessem vida com a fartura e a alegria.     Abandonemos a um canto, a árvore morta coberta de lanjetouras e plantemos no fundo da alma uma oração que sacie nossa fome de transcendência.     Deixemo-nos, como Maria, engravidar pelo espírito de Deus. Então, algo de misteriosamente novo haverá de nascer em nossas vidas.
Texto de Frei Beto

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Acredite..você...pode.: EU QUERO,EU POSSO,EU CONSIGO,EU REALIZO.

Acredite..você...pode.: EU QUERO,EU POSSO,EU CONSIGO,EU REALIZO.: "Faça a Diferença! Você é Capaz Não é o seu talento ou o seu berço de nascença, Não é o seu extrato bancário que determina o valor, Não..."

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

TENHAM TODOS UMA LINDA E SAUDÁVEL SEMANA.

Receita de saúde - Não se preocupe com o amanhã

Postada em domingo, 5 de dezembro de 2010.
O homem tem por hábito preocupar-se sempre com o dia de amanhã.
Não vive o hoje. Vive o ontem e o amanhã.
Preocupar-se é contraproducente, pois não há como prever
o que irá acontecer. Somente Deus tem esse poder.
A preocupação não permite que o homem viva em plenitude,
pois fica paralisado pensando no que poderá lhe acontecer.
Isso causa angústia, ansiedade e sofrimento,
sem falar em outros males físicos que acometem essas pessoas.
Vivamos o dia de hoje da melhor maneira que pudermos,
pois o nosso amanhã será fruto do hoje.
Também não nos apeguemos ao que passou,
pois é passado e não há como mudá-lo.
Confiemos na Providência de nosso Criador.
Tudo está certo e não acontecerá nada do que já não esteja
previsto por nosso Pai Celestial.
Confiemos e sigamos plantando as melhores sementes
que pudermos no dia de hoje, pois amanhã será outro dia
e teremos outras ocupações.
Ocupemo-nos com o que temos a realizar hoje.
A oportunidade perdida hoje não se recupera!
 

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

MARAVILHOSO....VALE A PENA LER.

PORQUE ESTAMOS NO MÊS DO NATAL Floriano Serra
florianoserra@terra.com.br
Se você acredita nas magias do Natal, quem sabe, depois de ler este artigo, você conclua que a Paz e a Felicidade estão mais próximas do que pensamos?
Muitas coisas mágicas acontecem porque estamos no mês do Natal.

Talvez essas coisas mágicas não aconteçam com todo mundo. Nem mesmo sei se acontecem com muitas ou com poucas pessoas. Mas acontecem com algumas.- não que estas sejam melhores que ninguém. Apenas são mais perceptivas a algumas sutis mudanças que ocorrem no ar, no humor e no amor das pessoas - só
porque estamos no mês de Natal.

Uma mudança visível, por exemplo,
no mês do Natal, é que as pessoas sorriem mais. Tornam-se mais tolerantes, mais pacientes. Algumas ficam mais otimistas. Outras ficam mais criativas para acompanhar o otimismo daquelas, ainda que não tenham boas razões para serem otimistas. As ruas e os shoppings ficam apinhados de gente que anda de um lado para o outro, de forma deliciosamente barulhenta. Os sons, a confusão e as algazarras de dezembro fazem parte do cenário natalino. Até o trânsito congestionado faz parte.

Nas empresas, essas mudanças também acontecem,
porque estamos no mês do Natal. Planejam-se almoços, jantares, encontros de confraternização, festas de "amigo secreto", concursos, brincadeiras, distribuição de brinquedos e cestas - sempre com a risonha presença do Papai Noel, mesmo com a barba fora do lugar e um leve hálito de cerveja. E as magias do Natal nas empresas não param por aí: os chefes "durões" relaxam, os "bonzinhos" se derretem, os racionais contemplam tudo com um olhar condescendente de superior compreensão, os atrasos são tolerados, as faltas são abonadas...

Porque estamos no mês de Natal, as portarias das empresas se enchem de brindes e presentes de fornecedores e clientes. Algumas Normas internas tentam proibir essa prática, mas o máximo que conseguem é fazer os brindes e presentes irem parar em outras portarias residenciais.

Porque estamos no mês de Natal todas as equipes de trabalho transformam-se pra valer em equipes de alta performance. Nunca a integração, a sintonia e a harmonia são maiores e mais produtivas que no mês de Natal. Isso é fácil de perceber nos alegres encontros dos colegas nos corredores e nas cristalinas gargalhadas nos refeitórios e mesmo no local de trabalho.

Porque estamos no mês de Natal, mágoas e ressentimentos são arquivados. Aquele aumento que não veio, aquela promoção que não saiu, aquela ofensa, aquele constrangimento, aquela discussão...tudo isso passa batido porque estamos no mês do Natal. E depois, para coroar as festividades, há o inevitável discurso reafirmando que as pessoas são o maior patrimônio das empresas. E assim todos continuam vivendo felizes para todo o sempre - enquanto durar o mês de dezembro.

Querem saber o que eu realmente gostaria que acontecesse? Que ocorressem de fato as mudanças às quais me referi neste artigo. Mas que elas fossem tão duradouras quanto a esperança dos puros de coração, e que, doravante, eu pudesse escrever, a cada mês, mais onze artigos iguaizinhos a este, mudando apenas o nome do mês no título. E que eu pudesse começar o texto de cada um dos artigos desta maneira:
"Muitas mágicas acontecem..." :
-Porque estamos no mês da Confraternização Universal...
-Porque estamos no mês do Carnaval...
-Porque estamos no mês da Semana Santa...
-Porque estamos no mês da Páscoa...
-Porque estamos no mês do Dia das Mães...
-Porque estamos no mês do Corpus Christi...
-Porque estamos no mês das Férias...
-Porque estamos no mês do Dia dos Pais...
-Porque estamos no mês da Independência do Brasil...
-Porque estamos no mês do Dia das Crianças...
-Porque estamos no mês da Proclamação da República..."
e aí recomeçaríamos nossa contínua maratona de fé, esperança e otimismo, porque teria chegado novamente o mês de dezembro, o mês do Natal. Outra alternativa seria decretar que, daqui para a frente, o ano inteiro seria constituído por um único mês, composto de 365 dias, chamado dezembro...

Será sonhar demais supor que a
Paz e a Felicidade poderiam ser conseguidas simplesmente extinguindo-se o nome dos meses ou transformando-os em um só?

Ora, não me levem a sério. Esta pergunta faz parte da magia do Natal. E como toda magia, é só para sonhar com ela.



Floriano Serra
é psicólogo, Diretor de Recursos Humanos e Qualidade de Vida da APSEN Farmacêutica, fundador e diretor-presidente do IPAT -Instituto Paulista de Análise Transacional e da SOMMA4 Desenvolvimento Pessoal e Organizacional. É palestrante e autor de mais de uma dezena de livros sobre o comportamento humano (o mais recente é O gerente que veio do céu) e escreve artigos para diversos jornais, revistas e sites de RH.


Divulgue este artigo para outras famílias e amigos.

Música para Relaxamento e Meditação