domingo, 12 de setembro de 2010

5 AULA MENTE PROSPERA.

Agora vamos à leitura:

Capítulo 5 - Progredindo na Vida

Você deve se livrar até do último vestígio da velha idéia de que há uma divindade cujo desejo é que você permaneça pobre ou cujos propósitos só podem ser realizados mantendo a pobreza.

A substância inteligente que é e está em tudo, que vive em tudo e vive em você, é uma substância viva consciente. Sendo uma substância que vive conscientemente, deve ter a natureza e o desejo inerentes de cada inteligência viva de progredir na vida. Cada coisa viva deve continuamente procurar a ampliação de sua vida, porque a vida, no mero ato de viver, deve multiplicar-se.

Uma semente, deixada cair na terra, ativa-se, e no ato da vida produz centenas de sementes mais; a vida, pela vida, está sempre se multiplicando. Ela tem de fazer isso para continuar a ser vida. A inteligência está sob esta mesma necessidade de progresso contínuo. Para cada pensamento que temos, faz-se necessário pensar um outro; a consciência está se expandindo continuamente. Cada fato que aprendemos nos leva à aprendizagem de um outro fato; o conhecimento aumenta continuamente. Cada talento que nós cultivamos traz à mente o desejo de cultivar um outro talento; nós estamos sujeitos aos impulsos da vida, em busca de expressão, que nos leva sempre para o saber mais, o fazer mais, o ser mais.

A fim de saber, fazer e ser mais, devemos ter mais. Nós devemos ter as coisas porque nós só aprendemos, fazemos e nos tornamos, usando as coisas. Nós devemos enriquecer para que possamos viver mais. O desejo de riqueza é simplesmente a capacidade de uma vida buscar realizar-se plenamente. Cada desejo é o esforço de uma possibilidade tornar-se ação. É a ação procurando manifestar-se que causa o desejo. Isso que faz você querer mais dinheiro é a mesma coisa que faz a planta crescer; é a vida procurando a expressão plena. A substância viva está sujeita à esta lei, inerente a toda vida. Permeada com o desejo de viver mais, e é por isso que tem a necessidade de criar coisas. A substância deseja viver mais, através de e em você. Conseqüentemente, ela quer que você tenha todas as coisas que puder usar.

É o desejo de Deus que você fique rico. Ele assim o quer porque poderá se expressar mais e melhor através de você, se você tiver abundância nas coisas, e meios para Lhe dar esta expressão. Ele poderá viver mais em você se você tiver domínio ilimitado dos meios de vida.

O universo deseja lhe dar tudo o que você quer ter. A natureza é amigável a seus planos. Tudo flui naturalmente para você. Coloque em sua mente que isto é verdade. É essencial, entretanto, que seu propósito harmonize-se com o propósito que há em tudo. Você deve querer a vida real, não o mero prazer ou a satisfação dos sentidos. A vida é o desempenho de ações, e o indivíduo só vive realmente quando executa cada ação, física, mental, e espiritual de que é capaz, sem excessos. Você não quer ficar rico para viver sordidamente, para satisfazer os instintos animais. Isto não é vida. Mas o desempenho de cada função física é uma parte da vida, ninguém pode viver plenamente negando os impulsos do corpo, um impulso normal e saudável.

E você não quer ficar rico unicamente para apreciar prazeres intelectuais, adquirir conhecimento ou cultivar a ambição e ofuscar a outros ao se tornar mais famoso. Todas estas coisas são uma parte integrante da vida, mas a pessoa que vive somente para os prazeres do intelecto terá uma vida parcial, e ficará insatisfeita com sua sorte. Você não quer ficar rico unicamente para o bem dos outros, sacrificar-se para a salvação da humanidade, para experimentar as alegrias da filantropia e do sacrifício.

As alegrias da alma são somente uma parte da vida, e não são melhores ou mais nobres do que qualquer outra de suas partes. Você quer ficar rico a fim de que possa comer, beber, alegrar-se quando for hora de fazer estas coisas; a fim de que você possa se cercar de coisas bonitas, possa ver terras distantes, suprir sua mente, e desenvolver seu intelecto; a fim de que você possa amar o outro e fazer coisas boas, e possa fazer sua parte ajudando o mundo a encontrar a verdade. Mas lembre-se que o altruísmo extremo não é melhor e mais nobre do que o egoísmo extremo; ambos são erros.

Livre-se da idéia que Deus quer que você se sacrifique pelos outros e se gratifique com isso. Deus não requer nada desse tipo.O que Deus quer é que você dê o melhor de si, por você mesmo, e pelos outros. E você pode ajudar mais os outros fazendo isso do que de outro modo. Você só poderá dar tudo de si ficando rico, portanto é certo e louvável que você deva priorizar seu pensamento no trabalho de adquirir esta riqueza.

Lembre-se, entretanto, que o desejo da substância é para todos, e suas ações devem ser para melhorar a vida de todos. Não se pode trabalhar para piorar a vida de alguns, porque a vida está igualmente em tudo, buscando riqueza e mais vida. A substância inteligente fará coisas para você, mas não tirará nada de ninguém para lhe dar.

Você deve começar livrando o pensamento da competição. Você deve criar, para não competir com o que já foi criado. Você não deve tirar nada de ninguém. Você não deve fazer negociações acirradas. Você não deve enganar nem tirar vantagem. Você não deve deixar alguém trabalhar para você por menos do que já ganha. Você não deve cobiçar ou desejar a propriedade do outro. Ninguém tem nada que você não possa ter, sem ter que tomar dele. Você deve transformar-se num criador, não num competidor.

Você terá tudo que quer, mas de tal modo que quando você o tiver, outras pessoas com quem você se relacione também terão mais do que tem agora. Estou ciente de que existem aqueles que começam uma vasta fortuna em oposição direta às indicações do parágrafo acima, e posso dar uma explicação aqui. Os indivíduos desse tipo, que se tornam muito ricos, às vezes o fazem assim puramente por sua extraordinária habilidade em competir, e às vezes por eles relacionarem-se inconscientemente com a substância em seus grandes objetivos e ações para o desenvolvimento geral na evolução industrial.

Rockefeler, Carnegie, Morgan, etc., foram os agentes inconscientes do supremo no trabalho necessário de sistematização e de organização da indústria produtiva, e por fim, seu trabalho contribuiu imensamente para melhorar a vida de todos. Mas seus dias estavam contados. Organizaram a produção e foram logo sucedidos pelos agentes da multidão, que organizariam o maquinário da distribuição.

Foram como os répteis monstruosos das eras pré-históricas. Fizeram sua parte, necessária no processo evolutivo, mas o mesmo poder que os produziu os liquidou. E deve-se bem dizer que eles nunca foram realmente ricos; um registro das vidas privadas da maioria desta classe mostrou que foram realmente odiados e desprezados. Riquezas baseadas no plano da competição nunca são satisfatórias e permanentes. São suas hoje e amanhã serão de outros.

Lembre-se que se você vai se tornar rico de um modo científico e de uma certa maneira, você deve progredir inteiramente despido do pensamento competitivo. Você nunca deve pensar, por um momento sequer, que a fonte de suprimentos é limitada. Logo que você comece a pensar assim todo o dinheiro estará em risco de passar ao controle de outros, e você terá de valer-se de seus direitos nas cortes de justiça para proteger seus ativos - No momento que você deixa sua mente cair para a competição seu poder de criação cessa por um tempo.

E o que é pior, você provavelmente bloqueará as ações criativas que você no começo havia iniciado. SAIBA que há incontáveis milhões de dólares em ouro nas montanhas da terra, ainda não trazidos à luz. E saiba que, se não houvesse, mais estaria sendo criado pela substância inteligente, para suprir suas necessidades. SAIBA que o dinheiro que você necessita virá, mesmo que seja necessário que mil homens sejam levados à descoberta de novas minas de ouro amanhã. Nunca olhe a fonte visível. Olhe sempre as riquezas ilimitadas da substância amorfa, e SAIBA que virão tão rapidamente para você, quanto você as pode receber e usar. No que concerne à fonte visível ninguém pode impedir que você tenha o que é seu.

Portanto, nunca se permita pensar - nem por um instante - que os melhores locais de construção serão ocupados antes que você esteja pronto para construir sua casa, a menos que você queira se apressar. Nunca se preocupe com cartéis e associações, com medo que conquistem a terra inteira. Nunca tenha receio de que você perderá o que tem para outros. Isso provavelmente não acontecerá.

Você não está procurando qualquer coisa que pertence à outra pessoa; você está causando a criação do que você quer pela substância amorfa, e a fonte é ilimitada. Concentre-se nesta afirmação:

Existe uma matéria pela qual todas as coisas são feitas, e que, em seu estado original, permeia, penetra, e preenche os interespaços do universo. Um pensamento nesta substância produz a coisa que é imaginada no pensamento. Uma pessoa pode dar forma às coisa sem seu pensamento, e imprimindo este pensamento na substância amorfa, pode causar a criação do que pensa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário